Mitos e barreiras em relação ao uso dos dispositivos intrauterinos  

Quais são os principais mitos e barreiras em relação ao uso dos dispositivos intrauterinos? E o que é considerado verdade?

 

Que aumentam o risco de infecção.

As evidências atuais sugerem que o risco de se adquirir uma doença inflamatória pélvica aumenta discretamente nos primeiros 20 dias após a inserção do DIU e depois volta a se equipar ao risco das não usuárias, porém mesmo nos 20 primeiros dias o risco continua sendo baixo. Após o primeiro mês de inserção, o risco de infecção é reduzido nas pacientes com DIU-LNG ¹, quando comparado a não usuária.

 

Que podem ser abortivos.

O mecanismo de anticoncepção intrauterina não é abortivo. Existem diferentes mecanismos de ação para a anticoncepção intrauterina que atuam principalmente na fase de pré-fertilização, impedindo a fecundação.

 

Que não podem ser usados em mulheres que nunca engravidaram (nulíparas) ou em adolescentes.

A paridade (número de filhos) não é um fator determinante na escolha do método. As nulíparas, que têm baixo risco de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), também são candidatas apropriadas ao método.

Os dispositivos intrauterinos podem ser inseridos, sem dificuldade técnica, na maioria das adolescentes e em mulheres nulíparas.

 

Que podem causar infertilidade.

O uso de DIU não aumenta as taxas de infertilidade. A fecundidade (capacidade de engravidar) retorna rapidamente ao nível basal após a remoção do DIU.

 

Que interferem na amamentação.

Os DIUs são excelentes métodos para mulheres amamentando, e a quantidade e qualidade do leite não são afetados.

 

Os dispositivos intrauterinos causam mudanças de padrão de sangramento menstrual?

É previsível, principalmente nos primeiros meses de uso, a ocorrência de mudanças na menstruação em usuárias de DIU de cobre ou do dispositivo intrauterino liberador de levonorgestrel. O DIU de cobre pode provocar sangramento mais intenso, que é tratado com medicação específica. As mulheres que utilizam o dispositivo intrauterino liberador de levonorgestrel têm a menstruação diminuída ao longo do tempo, o que pode se manifestar como sangramento leve, sangramento de escape ou ausência de menstruação. Os profissionais de saúde devem orientar as usuárias, de modo que elas compreendam, que estas mudanças são esperadas.






¹ Dispositivo intrauterino liberador de levonorgestrel (DIU-LNG), que é um DIU com liberação hormonal, e o dispositivo intrauterino medicado com cobre (DIU-Cu).

Fonte : FEBRASGO > http://www.febrasgo.org.br/site/wp-content/uploads/2014/09/MAE-Contracepcao-de-Longo-Prazo.pdf