Gravidas podem fazer drenagem linfática ?  

Editor HTML Online

São três os fatores que justificam o aparecimento de edema (inchaço) na gestação normal, todos eles facilitando o escape de fluidos para o espaço extravascular:

  1. Aumento da permeabilidade capilar dos vasos sanguíneos observado na grávida, provável consequência da ação dos hormônios esteroides, fortemente elevados na gestação;
  2. Aumento da volemia, em particular do volume plasmático, com diminuição intravascular da força coloidosmótica;
  3. Aumento da pressão intravascular e da estase sanguínea dos membros inferiores, resultado da compressão pelo útero grávido sobre as veias ilíacas e cava inferior, características da gestação avançada.

 

 

No mais das vezes, a grávida se beneficia com medidas gerais assumidas, a saber, para evitar o edema acentuado:

  1. Evitar ortostatismo (diz-se de fenômenos que só se produzem em consequência da posição em pé, manter-se na vertical) prolongado;
  2. Evitar permanecer sentada por longo período, como em viagens demoradas;
  3. Repouso periódico em decúbito lateral e/ou com os membros inferiores elevados;
  4. Uso de meia elástica. É fundamental que sejam observados rigorosamente os cuidados exigidos quando de seu uso (colocá-las sempre com os membros inferiores elevados por um mínimo de 10 minutos) para que se evite o agravamento dos sintomas.

 

 

Não é indicado tratamento medicamentoso para correção do edema fisiológico na gravidez. Diuréticos e dieta hipossódica, frequentemente prescritos devem ser evitados ao máximo.

 

 

Drenagem linfática na gestante, quais são os seus benefícios?

  1. Melhora a nutrição das células e a oxigenação dos tecidos;
  2. Estimula a circulação venosa e linfática; reduz a retenção de líquido;
  3. Diminui os inchaços típicos da gravidez;
  4. Estimula a lactação e a dessensibilização das mamas, preparando-as para a amamentação;
  5. Previne e combate varizes e sensação de pernas cansadas;
  6. Combate celulite e estrias; alivia tensões e reduz dores musculares.

 

É possível fazer drenagem linfática a partir de quantas semanas de gestação?

É fundamental que a gestante seja avaliada pelo médico antes de iniciar o tratamento, até para que seja feita a indicação correta da drenagem linfática. As sessões podem ser iniciadas a partir do terceiro mês, cerca de duas vezes por semana. Em casos de edemas exacerbados, a gestante poderá fazer até três sessões semanais, desde que tenha autorização do médico responsável.

 

 

Existe alguma contraindicação?

Sim existem! Grávidas com hipertensão não controlada, insuficiência renal, trombose venosa profunda, infecções de pele e erupções cutâneas não são aconselhadas a realizar este procedimento.

 

 

A fisioterapeuta do Setor de Pré-natal Personalizado da Unifesp, Mirca Ocanhas, especialista em gestantes, explica cinco pontos principais que devem ser observados nessa massagem:

  1. Independentemente de ser realizada em grávidas ou não, a drenagem linfática tem de ser executada com movimentos precisos,suaves e direcionados;
  2. Não existe drenagem na qual se empregue força. É sempre de forma delicada. Os vasos linfáticos encontram-se na primeira camada da pele. Sendo assim, não há a menor necessidade de apertar profundamente a pele;
  3. Deve-se sempre começar de cima para baixo com movimentos de varredura, retornando à região pélvica, onde está a virilha. Primeiro, barriga, depois pernas e, em seguida, barriga novamente;
  4. O profissional precisa ter conhecimento do sistema linfático e, principalmente, de todas as mudanças fisiológicas que ocorrem no organismo durante a gravidez;
  5. À medida que a barriga da grávida cresce, o fisioterapeuta deve colocar um travesseiro de criança embaixo das costas da paciente para proteger a coluna.

 

 

Fontes :

http://guiadobebe.uol.com.br/drenagem-linfatica-na-gestacao/

http://www.crescabrasil.com.br/pessoas/347/material/Drenagem%20na%20gravidez.pdf

http://enfermagemsaudavel.blogspot.com.br/2011/05/pequenos-disturbios-da-gestacao.html