Tensão Pré Menstrual  

Tensão Pré-Menstrual é um conjunto de alterações físicas e emocionais que certas mulheres apresentam nos dias que antecedem a menstruação.

 

 

 A sintomatologia da TPM pode ser considerada em 4 grupos, os quais podem manifestar-se isoladamente ou em combinação variável de pessoa-a-pessoa:

 

1. com predomínio de ansiedade e agressividade;
2. com predomínio de alterações afetivas, notadamente com sintomas depressivos.
3. com predomínio de queixas físicas resultantes de acúmulo e retenção de líquidos;
4. com predomínio de alterações alimentares, desde anorexia ou bulimia, ou mesmo alterações do apetite seletivo, como por exemplo, vontade de consumir doces.

 

Esses 4 grupos de sintomas da TPM se relacionam a alterações hormonais, alterações bioquímicas e metabólicas, e a desequilíbrio dos neurotransmissores (substâncias relacionadas à regulação do humor, da disposição e do ânimo). Apesar de 80% da população geral feminina apresentar sintomas pré-menstruais, apenas cerca de 8% costumam satisfazer os estritos critérios de diagnóstico para a Síndrome Pré-Menstrual, conforme a listagem abaixo.

 

Critérios para Síndrome Pré-Menstrual

 

A paciente deve apresentar por 2 ou 3 ciclos menstruais 5 ou mais sintomas da lista abaixo na última semana do ciclo, devendo tais sintomas estar ausentes na pós-menstruação:

 

  

1. Marcante humor depressivo, sentimentos de desesperança ou autodepreciativos
2. Marcante ansiedade e tensão
3. Marcante labilidade afetiva
4. Irritabilidade e/ou agressividade marcantes ou dificuldades de relacionamento pessoal
5. Diminuição do interesse para atividades usuais
6. Dificuldades de pensamento, memória e concentração
7. Cansaço, fadiga e perda de energia
8. Alterações do apetite e/ou da aceitação de determinados alimentos
9. Alterações do sono (insônia ou hipersonia)
10. Sensação subjetiva de opressão ou perder o controle
11. Outros sintomas físicos tais como turgência nos seios, cefaléia, dor muscular, inchaço, ganho de peso.
12. O distúrbio deve interferir marcantemente com a ocupação, atividades sociais e de relacionamento.

 

Apesar desses critérios, a expressiva maioria das mulheres que experimentam algum tipo de mal estar durante o período pré-menstrual, embora não sejam rigidamente classificadas como portadoras de Síndrome Pré-Menstrual, podem ser abordadas como portadoras de Tensão Pré-Menstrual sob o ponto de vista clínico e terapêutico.

  

Tratamento para a TPM

 

Sintomas mais leves de TPM podem ser aliviados com mudanças de hábitos simples, através de dietas, exercícios e redução do estresse.

 

Alimentação


Não temos uma medida exata do quanto a alimentação afeta a TPM. Mas algumas pesquisas mostraram que aumentar a quantidade de carboidratos complexos antes da menstruação ajuda a aumentar os níveis de serotonina, e vale lembrar que a deficiência desse neurotransmissor foi ligada à depressão causada pela TPM. Embora os carboidratos complexos (como os encontrados em grãos integrais e vegetais) sejam bons durante a TPM, os carboidratos simples (como os presentes nos doces e no pão francês) podem acabar aumentando a retenção de líquidos, a irritabilidade e outros sintomas da TPM.

 

Os especialistas também recomendam que as mulheres em idade menstrual tomem vitaminas, especialmente um polivitamínico diário que contenha ácido fólico, essencial para o crescimento do feto caso a mulher engravide, e suplementos de cálcio com vitamina D, que ajudam os ossos a ficar fortes e também podem ajudar a aliviar os sintomas da TPM. Alguns pesquisadores acham que a Vitamina B6 pode aliviar os sintomas, especialmente a depressão, mas sua eficácia ainda não foi comprovada e é importante ter em mente que doses muito altas - de 500 mg a 2 mil mg por dia - podem causar danos ao sistema nervoso.

 

Os nutricionistas, às vezes, recomendam que mulheres com TPM comam várias refeições pequenas no decorrer do dia em vez de três refeições maiores. Comer muitos alimentos de uma só vez pode causar um "efeito gangorra" no nível de açúcar no sangue e algumas pessoas alegam que isso pode aumentar os sintomas da TPM.

 

Especialistas dizem que certos alimentos devem ser evitados, entre eles:

 

  • cafeína, já que pode aumentar a irritabilidade, o nervosismo e a insônia;
  • álcool, pela possibilidade de agir como um depressivo;
  • sal, devido a sua capacidade de aumentar a retenção de líquidos e inchaço.

As mulheres também devem evitar a nicotina, já que ela, além dos outros riscos já conhecidos, pode afetar os sintomas da TPM da mesma maneira que a cafeína. Um estudo de 2005 descobriu que mulheres que tinham uma alimentação rica em vitamina D e cálcio apresentavam um risco menor de desenvolver a TPM. Para conseguir notar um benefício, as mulheres que participaram do estudo tiveram que comer ao menos 1.200 miligramas de cálcio e 400 UI de vitamina D por dia. Os pesquisadores não sabem o motivo exato pelo qual a vitamina D e o cálcio impediram os sintomas da TPM, mas dizem que pode ter alguma relação com o efeito causado pelo cálcio sobre o estrógeno durante o ciclo menstrual.

 

Exercícios, redução de estresse e remédios 

 

Exercícios
Durante a malhação, os níveis dos compostos químicos chamados beta-endorfinas aumentam. E isso produz um impacto positivo sobre o humor e o comportamento. Especialistas afirmam que se exercitar ao menos três vezes por semana pode reduzir a raiva, a depressão e combater o estresse durante a TPM.

 

Redução de estresse

 
Embora o estresse não cause a TPM, ele pode piorar seus sintomas. Por isso, pode ser uma boa idéia procurar técnicas de relaxamento como meditação e ioga, que costumam surtir efeito no alívio do estresse.

 

Medicamentos

Quando o controle da alimentação, os exercícios e a redução de estresse não são o bastante para aliviar os sintomas, talvez seja a hora dos medicamentos entrarem em ação. Remédios que não precisam de receita médica, como os que contêm acetaminofeno e ibuprofeno podem aliviar as cólicas e outras dores menores. Há medicamentos direcionados a mulheres que estão sofrendo com os sintomas da TPM. Esses medicamentos normalmente são uma combinação de diuréticos e aspirina ou acetaminofeno para a dor. Os diuréticos são uma maneira de impedir a retenção de líquidos para aliviar o inchaço. Já para as mulheres com TDPM, os antidepressivos como o hidrocloreto de sertralina e fluoxetina, podem ser uma alternativa para aliviar a depressão. Nos casos mais graves, há a possibilidade de usar anticoncepcionais para fazer a ovulação parar de vez.

 

 Fontes : Psiqweb - J C Ballone / http://saude.hsw.uol.com.br/tpm4.htm